O que é a Otan, organização que convocou 90 mil homens para fazer o maior exercício militar desde a Guerra Fria

Seja bem-vindo
Curitiba,02/03/2024

  • A +
  • A -
Publicidade

O que é a Otan, organização que convocou 90 mil homens para fazer o maior exercício militar desde a Guerra Fria

g1.globo.com
O que é a Otan, organização que convocou 90 mil homens para fazer o maior exercício militar desde a Guerra Fria
Publicidade

A organização foi criada em 1949, no período da chamada Guerra Fria, sob a liderança dos EUA em oposição à extinta União Soviética. Entenda o que é a Otan
A Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) anunciou nesta quinta-feira (18) que vai convocar 90 mil soldados de países membros da aliança e da Suécia. A convocação é a maior feita pela Otan desde a Guerra Fria.
Os militares participarão de uma série de exercícios conjuntos que trabalharão com o cenário de um "ataque russo", segundo o comandante-geral da Otan na Europa, o general Christopher Cavoli.
O que é a Otan
A Otan (sigla que significa Organização do Tratado do Atlântico Norte) é uma aliança formada por 30 países, incluindo EUA, Canadá, Reino Unido e França (veja lista completa abaixo).
A organização passou para o centro das discussões da diplomacia internacional em meados de abril e ao longo de maio de 2022 devido à possibilidade de adesão da Finlândia e da Suécia, em meio à Guerra na Ucrânia. Em abril de 2023, a Finlândia entrou oficialmente para o grupo.
A organização foi criada em 1949, no período da chamada Guerra Fria, sob a liderança dos EUA em oposição à extinta União Soviética. Durante a Guerra Fria, os países ligados aos EUA pertenciam à Otan, e a União Soviética tinha uma aliança nos mesmos moldes, o Pacto de Varsóvia. Após a dissolução do bloco comunista, em 1991, muitos dos países que pertenceram ao Pacto de Varsóvia entraram na Otan – é o caso inclusive da Polônia, cuja capital, Varsóvia, dava nome à antiga aliança.
Desde então, a Otan passou a atuar, sobretudo, como uma aliança que zela pelos interesses econômicos dos membros, com algumas exceções, como por exemplo quando agiu diretamente na Líbia, no conflito que derrubou o ditador Muammar Gaddafi.
Ucrânia, parceira da Otan
A aliança teve papel importante na disputa entre Rússia e Ucrânia, ainda em andamento. Apesar de a Ucrânia não ser um membro da aliança, ela é um considerada um "país parceiro". Ucranianos, inclusive, pleiteavam entrada no grupo, o que foi um dos motivos que a Rússia alegou para a invadir o território ucraniano.
Em março do ano passado, o presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, admitiu que o país não deverá integrar a aliança. Países da Otan, no entanto, abasteceram a Ucrânia com armas, irritando russos e dificultado o avanço da invasão ao território ucraniano.
Tratado da Otan prevê reação contra agressões
O tratado da Otan é composto por 14 artigos. Nos artigos 4 e 5, são mencionadas possíveis ações contra agressões a países membros.
Artigo 4.º
As Partes consultar-se-ão sempre que, na opinião de qualquer delas, estiver ameaçada a integridade territorial, a independência política ou a segurança de uma das Partes.
O artigo 5 também fala sobre invasões a países que fazem parte da Otan:
Artigo 5.º
As Partes concordam em que um ataque armado contra uma ou várias delas na Europa ou na América do Norte será considerado um ataque a todas, e, consequentemente, concordam em que, se um tal ataque armado se verificar, cada uma, no exercício do direito de legítima defesa, individual ou coletiva, reconhecido pelo artigo 51.° da Carta das Nações Unidas, prestará assistência à Parte ou Partes assim atacadas, praticando sem demora, individualmente e de acordo com as restantes Partes, a ação que considerar necessária, inclusive o emprego da força armada, para restaurar e garantir a segurança na região do Atlântico Norte.
Qualquer ataque armado desta natureza e todas as providências tomadas em consequência desse ataque serão imediatamente comunicados ao Conselho de Segurança. Essas providências terminarão logo que o Conselho de Segurança tiver tomado as medidas necessárias para restaurar e manter a paz e a segurança internacionais.
Membros da OTAN
ALBÂNIA (2009)
ALEMANHA (1955)
BÉLGICA (1949)
BULGÁRIA (2004)
CANADÁ (1949)
REPÚBLICA CHECA (1999)
CROÁCIA (2009)
DINAMARCA (1949)
ESLOVÁQUIA (2004)
ESLOVÉNIA (2004)
ESPANHA (1982)
ESTADOS UNIDOS (1949)
ESTÔNIA (2004)
FINLÂNDIA (2022)
FRANÇA (1949)
GRÉCIA (1952)
HOLANDA (1949)
HUNGRIA (1999)
ISLÂNDIA (1949)
ITÁLIA (1949)
LETÓNIA (2004)
LITUÂNIA (2004)
LUXEMBURGO (1949)
MACEDÓNIA DO NORTE (2020)
MONTENEGRO (2017)
NORUEGA (1949)
POLÓNIA (1999)
PORTUGAL (1949)
REINO UNIDO (1949)
ROMÉNIA (2004)
TURQUIA (1952)
Exercícios militares
Os exercícios militares anunciados nesta quinta-feira começarão na semana que vem e durarão até meados de maio, segundo o comandante. E terão a cooperação de soldados da Suécia, país que ainda não faz parte da aliança, mas já solicitou formalmente o ingresso.
"A aliança vai demonstrar sua habilidade para reforçar a região do Atlântico e da Europa com um movimento transatlântico de forças", disse o comandante-geral da Otan na Europa, o general Christopher Cavoli.
O comandante afirmou que as manobras não têm uma motivação específica e acontecem como parte de exercícios anuais da aliança. Mas ele disse que a convocação das manobras deste ano são as maiores desde os anos da Guerra Fria e que simularão uma invasão russa a um dos países membros.
A convocação recorde da Otan ocorre também no momento em que a Rússia intensificou ataques aéreos a grandes cidades na Ucrânia, em uma tentativa de mostrar força após meses sem conseguir avançar nas linhas de frente de batalha. Atualmente, soldados russos controlam cerca de 20% do território ucraniano, em áreas no leste e no sul do país.

Publicidade



COMENTÁRIOS

Buscar

Alterar Local

Anuncie Aqui

Escolha abaixo onde deseja anunciar.

Efetue o Login

Recuperar Senha

Baixe o Nosso Aplicativo!

Tenha todas as novidades na palma da sua mão.